Meningite

Meningite

A meningite significa inflamação das meninges, que são as camadas protetoras que envolvem o cérebro e a medula espinhal. Pode ser causada por vírus, bactérias, fungos, ou por processos não-infecciosos, como lesões e tumores. As formas mais frequentes são a meningite viral e bacteriana, que concentram também os casos mais graves e com maior taxa de mortalidade. Ambas são consideradas uma importante questão de saúde pública, devido à sua capacidade de ocasionar surtos.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), ocorrem cerca de 1,2 milhão de casos e 135 mil mortes por meningite a cada ano no mundo. No Brasil, um estudo recente mostrou que foram confirmados aproximadamente 18 mil casos por ano, dos quais 34% foram de origem bacteriana e 47% de origem viral.

Inicialmente os sintomas são muito parecidos e por vezes se confundem. Saber se a meningite é causada por um vírus ou bactéria é muito importante, uma vez que determina a gravidade da doença e o tratamento adequado.

Qual é a diferença entre meningite viral e meningite bacteriana?

A meningite viral geralmente tem menor gravidade e não há um tratamento específico, já que a doença costuma desaparecer sozinha após algumas semanas, assim como acontece com outras viroses.

 

A meningite bacteriana, por sua vez, é muito mais grave, pois tem uma evolução rápida e pode ser fatal se não for tratada rapidamente e com os antibióticos corretos. O tratamento tardio pode resultar em sequelas como danos cerebrais, perda da audição e visão e até mesmo a amputação de membros.

 

Ambas são transmitidas de pessoa-a-pessoa, através das vias respiratórias, por gotículas e secreções de nariz e garganta. A meningite viral também pode ser transmitida por via fecal-oral.

 

MENINGITE VIRAL

A causa mais comum de meningite viral são os enterovírus, responsáveis por mais de 75% dos casos, seguidos dos vírus Herpes simplex 1 (HSV1) e 2 (HSV2). Outros vírus como varicela-zoster e da caxumba também costumam estar relacionados. Embora de menor gravidade que a forma bacteriana, a meningite viral pode ser bastante agressiva em crianças menores de um ano, idosos e pacientes imunocomprometidos.

MENINGITE BACTERIANA

A meningite causada por bactérias pode ser fatal para 1 a cada 10 pessoas, sendo o quadro  mais perigoso da doença. A bactéria Neisseria meningitidis, também chamada de meningococo, é a causadora da forma mais grave e contagiosa de meningite, com altos índices de mortalidade e sequelas.  Streptococcus pneumoniae é frequentemente responsável pelas infecções em crianças menores de 2 anos e idosos, também com alta frequência de letalidade e morbidade. E por fim a bactéria Haemophilus influenzae, predominante em pacientes de 5 anos até a fase adulta.

 

Complicações da Meningite

Os sintomas das duas formas são muito parecidos, muitas vezes podem até se assemelhar a uma gripe. Nos casos virais os sintomas se desenvolvem mais lentamente e sem tanta severidade, porém na bacteriana progridem muito rápido, sendo que o diagnóstico rápido aliado ao tratamento imediato podem salvar vidas e evitar sequelas graves.

 

Qual a importância do diagnóstico e da diferenciação do agente causador?

As medidas de tratamento são diferentes para o tipo viral ou bacteriano da meningite, sendo que quanto antes iniciado o tratamento, menores as chances de complicações.

Infelizmente não é fácil diagnosticar a infecção em seus estágios iniciais, devido à inespecificidade dos sintomas. A diferenciação entre a forma viral ou bacteriana não é possível somente através do diagnóstico clínico. Exames laboratoriais no sangue ou no líquido cefalorraquidiano (LCR) do paciente são necessários.

O diagnóstico laboratorial normalmente é realizado por métodos de cultura de bactérias, procedimento que necessita mais de um dia para a sua conclusão.

Exames laboratoriais por Biologia Molecular permitem que os agentes causadores sejam identificados por testes mais rápidos, com alta especificidade e sensibilidade. Isso possibilita iniciar o tratamento mais rapidamente, de forma assertiva, reduzindo a chance de evolução do quadro clínico para sepse (infecção generalizada) e morte.

No Brasil, A meningite é considerada uma doença endêmica, deste modo, casos da doença são esperados ao longo de todo o ano, com a ocorrência de surtos e epidemias ocasionais, sendo mais comum a ocorrência das meningites bacterianas no inverno e das virais no verão.

 

Como se prevenir ?

  • Lavar as mãos frequentemente – ao chegar do trabalho, antes de preparar, servir ou comer alimentos: depois de usar o banheiro, após auxiliar uma criança a utilizar o banheiro, após trocar fralda, após assoar o nariz, tossir ou espirrar, proteger o nariz e a boca com o braço ao espirrar ou tossir.
  • Não secar as mãos em toalhas úmidas. Em local coletivo utilizar de preferência toalhas descartáveis.
  • Manter o ambiente limpo e arejado.
  • Alimentos: lavar e desinfetar as frutas e verduras.
  • Limpar os reservatórios de água de abastecimento com solução clorada.
  • Utilizar filtro ou bebedouro para água potável.
  • Desinfetar filtros e bebedouros regularmente com água clorada.
  • Separar os utensílios de uso individual, em especial das crianças.

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *